Médico para tratar ejaculação precoce

A ejaculação precoce é uma condição que pode afetar significativamente a vida sexual e o bem-estar emocional de um homem. 

Se você está enfrentando este problema, é essencial saber que existem opções de tratamento eficazes disponíveis. 

Este conteúdo foi criado para ajudá-lo a entender melhor a ejaculação precoce, como tratá-la e por que o Centro Clínico do Homem é a melhor escolha para o seu cuidado. 

Nossa clínica é especializada em saúde sexual masculina, oferecendo um atendimento personalizado e focado nos resultados, com total sigilo e conforto. 

Continue lendo para descobrir mais sobre como podemos ajudar você a superar a ejaculação precoce e melhorar sua qualidade de vida sexual.

 

Qual médico devo procurar para tratar ejaculação precoce?

A ejaculação precoce ocorre quando um homem ejacula mais cedo do que o esperado durante a relação sexual. Se isso acontecer ocasionalmente, não há motivo para preocupação.

No entanto, se o problema for recorrente, é essencial procurar um médico especializado na saúde sexual masculina ou um sexólogo.

Esses profissionais são capacitados para diagnosticar e tratar essa condição, oferecendo um cuidado abrangente que pode incluir tanto abordagens médicas quanto terapias comportamentais.

A ejaculação precoce pode ser classificada em diferentes tipos, como:

  • Primária: Quando, desde o início da vida sexual, o homem não consegue prolongar o coito.
  • Secundária: Quando surge em um indivíduo que anteriormente controlava bem a ejaculação.
  • Situacional: Ocorre apenas em determinadas situações, como com uma parceira específica.
  • Variável: Ocorre ocasionalmente, sem ser um problema constante.
  • Subjetiva: O paciente tem controle acima do limite de dois minutos, mas sente insatisfação com a duração do coito.

A maioria dos casos de ejaculação precoce em homens com menos de 40 anos está relacionada à ansiedade e insegurança durante o sexo. Para esses casos, a terapia sexual com um sexólogo ou psicólogo especializado é altamente recomendada. 

Esses profissionais podem ajudar a tratar a ansiedade e os aspectos emocionais envolvidos, permitindo que o paciente recupere uma vida sexual satisfatória. Além disso, esses tratamentos podem ser realizados presencialmente ou de forma virtual, proporcionando flexibilidade e acessibilidade ao paciente.

Procurar ajuda especializada é o primeiro passo para resolver a ejaculação precoce e melhorar a qualidade da sua vida sexual. Se você está enfrentando esse problema, não hesite em buscar a orientação de um médico especializado na saúde sexual masculina ou um sexólogo.

Como tratar a ejaculação precoce

O tratamento da ejaculação precoce pode variar dependendo das causas subjacentes e da gravidade do problema. Em geral, os métodos de tratamento incluem intervenções médicas e terapias comportamentais, visando reduzir a ansiedade e melhorar o controle ejaculatório. 

Clique e conheça todos os tratamentos disponíveis!

Buscar orientação profissional é fundamental para determinar o tratamento mais adequado para cada caso específico. No Centro Clínico do Homem, nossa equipe de médicos especializados na saúde sexual masculina e sexólogos estão prontos para oferecer um tratamento personalizado e eficaz para a ejaculação precoce.

 

Por que o Centro Clínico do Homem é a melhor opção?

Avaliação CCH

O Centro Clínico do Homem se destaca como a melhor escolha para o tratamento da ejaculação precoce devido aos seus diferenciais exclusivos e seu compromisso com a excelência no atendimento.

Cada paciente recebe um plano de tratamento personalizado, elaborado por uma equipe multidisciplinar composta por médicos especializados na saúde sexual masculina, sexólogos, fisioterapeutas e psicólogos. Nosso foco é apresentar resultados eficazes e duradouros, acompanhando cada etapa do seu tratamento com atenção e dedicação.

Diferenciais do Centro Clínico do Homem

Sigilo em Todo o Processo

Entendemos a sensibilidade das questões relacionadas à saúde sexual masculina. Por isso, garantimos total sigilo em todo o processo, desde a consulta inicial até o acompanhamento final. Nossa equipe é treinada para lidar com cada caso com a máxima confidencialidade e respeito.

Conforto e Privacidade

Nossa clínica foi projetada para oferecer o máximo conforto e privacidade aos nossos pacientes. Dispomos de salas de espera individuais e ambientes discretos, onde você pode se sentir à vontade e seguro durante suas visitas.

Localização Privilegiada

Estamos localizados no centro de Brasília, em uma área de fácil acesso e com instalações modernas. Nossa clínica é equipada com tecnologia de ponta para diagnóstico, tratamento e prevenção de problemas de saúde sexual masculina. A localização privilegiada facilita o acesso para quem busca um atendimento de qualidade em um ambiente seguro e profissional.

Nosso Compromisso com Você

No Centro Clínico do Homem, estamos comprometidos em ajudá-lo a superar a ejaculação precoce e a melhorar sua qualidade de vida sexual. Agende uma consulta e entenda como podemos ajudar você a alcançar seus objetivos com discrição. 

Exercício de Kegel: Vantagens e Passo a Passo

O exercício de Kegel é uma prática simples e altamente eficaz para fortalecer a musculatura pélvica e melhorar diversos aspectos da saúde masculina. A técnica tem se destacado como uma poderosa ferramenta para promover o bem-estar, especialmente no que diz respeito ao controle da bexiga, desempenho sexual e qualidade de vida em geral

 

Neste conteúdo, vamos explorar tudo o que você precisa saber sobre os exercícios de Kegel: desde o que são e para que servem até como realizá-los corretamente para obter os melhores resultados. 

Para que servem os exercícios de Kegel

Os exercícios de Kegel têm uma ampla gama de benefícios para a saúde, especialmente para homens que desejam fortalecer sua musculatura pélvica e melhorar sua qualidade de vida. Esses exercícios são recomendados para diversas situações, incluindo:

 

Incontinência Urinária: Fortalecer os músculos do assoalho pélvico, o que pode reduzir significativamente a perda involuntária de urina, proporcionando maior controle da bexiga.

 

Bexiga Hiperativa: Podem ajudar a controlar os sintomas da bexiga hiperativa, como a frequência urinária aumentada e a urgência em urinar.

 

Disfunção Sexual: Para os homens, os exercícios de Kegel são especialmente benéficos no tratamento da ejaculação precoce e disfunção erétil. Ao fortalecer os músculos responsáveis pelo controle ejaculatório, esses exercícios podem aumentar a resistência sexual e melhorar o desempenho na cama.

 

Melhoria do Prazer Sexual: Além de tratar condições médicas, os exercícios de Kegel também podem aumentar o prazer durante o contato íntimo. Isso ocorre porque esses exercícios aumentam a circulação sanguínea na região pélvica, o que pode levar a ereções mais firmes e orgasmos mais intensos.

 

Para aproveitar ao máximo os benefícios dos exercícios de Kegel, é importante realizá-los corretamente e de forma consistente.

 

>>>>> Veja também: Como durar mais na cama?

Como fazer exercícios de kegel

Como fazer exercícios de kegel

Realizar os exercícios de Kegel de forma correta é fundamental para obter os benefícios desejados. Siga estes passos simples para executar os exercícios de maneira eficaz:

 

Esvaziar a Bexiga: Antes de começar os exercícios, esvazie completamente a bexiga para garantir que os músculos pélvicos estejam relaxados.

 

Identificar o Músculo Pubococcígeo: Para encontrar o músculo correto, experimente interromper o fluxo de urina enquanto urina. O músculo que você contrai para fazer isso é o músculo pubococcígeo.

 

Contrair e Relaxar o Músculo Pubococcígeo: Contraia os músculos pubococcígeos e segure a contração por 3 a 5 segundos. Em seguida, relaxe os músculos por 3 a 5 segundos. Repita este processo de contração e relaxamento por 10 vezes seguidas.

 

Realizar Séries de Exercícios: Faça pelo menos 8 a 10 séries de 10 contrações/relaxamentos do músculo pubococcígeo todos os dias. Você pode fazer esses exercícios em qualquer posição, seja sentado, deitado ou em pé.

 

Persistência e Paciência: No início, pode ser desafiador manter a contração dos músculos por mais de um segundo. Persista e mantenha uma rotina consistente de exercícios. Você pode começar a notar os resultados dentro de algumas semanas, mas a melhora significativa geralmente ocorre após 3 a 4 meses de prática regular.

 

Consulte um Especialista: Se necessário, consulte um profissional para receber instruções mais detalhadas e garantir que os exercícios de Kegel sejam realizados corretamente. Eles podem oferecer orientações personalizadas para suas necessidades específicas.

 

Seguir esse passo a passo ajudará você a fortalecer efetivamente os músculos pélvicos e aproveitar ao máximo os benefícios dos exercícios de Kegel. Persista na prática e desfrute de uma melhor saúde pélvica e sexual.

 

>>>> Veja também: Remédios para melhorar ereção

Conclusão

Os exercícios de Kegel representam uma maneira simples, porém poderosa, de fortalecer a musculatura pélvica e melhorar diversos aspectos da saúde masculina. Lembre-se de seguir corretamente as instruções e persistir na prática, pois os resultados podem levar algum tempo para se manifestar completamente.

 

Se necessário, não hesite em buscar orientação de um profissional de saúde para garantir que os exercícios sejam realizados de forma adequada.

 

Consulte um especialista hoje mesmo e descubra como os exercícios de Kegel podem transformar sua saúde pélvica e sexual para melhor!

 

AGENDAR CONSULTA!

Período Refratário: Como Diminuir e Fatores de Riscos?

Você já se sentiu frustrado com o tempo que leva para se recuperar após o orgasmo? Se sim, você está familiarizado com o período refratário. Mas não se preocupe, estamos aqui para ajudar! Neste conteúdo, vamos explorar maneiras de diminuir esse intervalo, permitindo que você desfrute de uma vida sexual mais satisfatória e prazerosa. 

 

Continue lendo para descobrir como você pode transformar sua experiência sexual!

O que é o período refratário?

 

O período refratário é uma fase do ciclo de resposta sexual que ocorre imediatamente após o orgasmo. Durante este tempo, o corpo masculino passa por uma série de mudanças fisiológicas que resultam na impossibilidade de resposta a estímulos sexuais e na incapacidade de alcançar uma ereção ou ter outro orgasmo. Esta fase pode durar de minutos a horas, ou até mesmo mais em alguns casos, dependendo de diversos fatores individuais.

 

Quanto mais o homem envelhece, maior se torna esse período refratário. Portanto, é importante compreender que esse tempo é necessário para que o corpo se recupere e se prepare para uma nova atividade sexual. Tentar apressar esse processo pode gerar ansiedade e frustração, dificultando ainda mais a obtenção de uma ereção. Em vez disso, é fundamental valorizar a qualidade da relação sexual como um todo, focando no compartilhamento de prazer com a parceira e explorando alternativas para prolongar o tempo de prazer mútuo.

 

>>> Veja também: Remédios para Melhorar a Ereção

 

Por que o Período Refratário é Importante?

Por que o Período Refratário é Importante?

Entender o período refratário é vital para compreender a saúde sexual masculina como um todo. Frequentemente, os homens podem sentir-se confusos ou preocupados sobre o que é “normal” neste aspecto. Conhecendo mais sobre o período, é possível lidar com essas preocupações, esclarecer mitos e oferecer um panorama mais claro.

 

Recuperação Fisiológica

 

Durante o período refratário, o corpo passa por um processo de recuperação física. Isso inclui a restauração dos níveis hormonais, a diminuição da excitação sexual e a regulação do fluxo sanguíneo. Esses processos são essenciais para a saúde do sistema reprodutivo masculino e contribuem para a manutenção do bem-estar geral.

 

Prevenção de Lesões

 

É um mecanismo de proteção para evitar lesões no tecido peniano. Após o orgasmo, o corpo necessita de um tempo para se recuperar antes de estar novamente pronto para o estímulo sexual. Tentar ignorar ou acelerar esse processo pode aumentar o risco de danos físicos, incluindo o desenvolvimento de disfunções sexuais.

 

Intimidade e Conexão

 

Esse tempo oferece uma oportunidade para a intimidade emocional e conexão com o parceiro. Embora o foco muitas vezes esteja na atividade sexual em si, é importante reconhecer que a intimidade vai além da penetração. Utilizar esse tempo para trocar carícias, conversar e fortalecer os laços emocionais pode enriquecer significativamente a relação.

 

Gerenciamento da Expectativa

 

Compreender e aceitar ajuda os homens a gerenciar suas expectativas em relação ao desempenho sexual. Ao reconhecer que esse intervalo é uma parte natural do ciclo de resposta sexual masculino, é possível reduzir a ansiedade e a pressão associadas ao desempenho. Isso, por sua vez, pode contribuir para uma experiência sexual mais satisfatória e gratificante para ambos os parceiros.

 

O período refratário desempenha um papel crucial na saúde sexual masculina, proporcionando tempo para recuperação física, prevenção de lesões, fortalecimento da intimidade e gerenciamento das expectativas. Ao compreender e respeitar esse processo natural, os homens podem cultivar uma relação mais saudável com sua sexualidade e desfrutar de uma vida sexual plena e satisfatória.

 

>>>>> Veja também: Tem jeito de manter a ereção depois de ejacular?

 

Fatores que Influenciam o Período Refratário

 

O período refratário, após o orgasmo masculino, é influenciado por uma variedade de fatores que podem afetar sua duração e intensidade. Aqui estão alguns dos principais elementos que podem desempenhar um papel significativo:

 

Idade

 

Um dos fatores mais proeminentes é a idade do homem. Geralmente, quanto mais velho o homem, mais longo pode ser o período refratário. Isso ocorre devido a mudanças hormonais, diminuição da sensibilidade e outros fatores associados ao envelhecimento.

 

Influência da Saúde Física

 

A condição geral da saúde física é fundamental na recuperação pós-orgasmo. Condições crônicas como diabetes, hipertensão e problemas cardíacos têm sido associadas ao prolongamento do período refratário. Adotar hábitos saudáveis, como uma dieta equilibrada, exercícios regulares e o devido controle de condições médicas, pode contribuir para a redução desse intervalo de tempo.

 

Saúde Mental

 

A saúde mental também desempenha um papel importante. O estresse, a ansiedade e a depressão podem interferir na capacidade de resposta sexual e prolongar o período refratário. É essencial cuidar da saúde mental, buscando apoio profissional quando necessário e adotando estratégias de enfrentamento saudáveis.

 

Estilo de Vida

 

Hábitos de vida, como o consumo excessivo de álcool, tabagismo e uso de drogas recreativas, podem afetar negativamente a função sexual e prolongar o período refratário. Uma dieta saudável, exercícios regulares e evitar substâncias prejudiciais podem contribuir para uma recuperação mais rápida após o orgasmo.

 

Outros Fatores

 

Além disso, outros fatores individuais, como a quantidade de estímulo sexual recebido, o nível de excitação e a qualidade do relacionamento com o parceiro, podem influenciar a duração do período refratário. É importante reconhecer que a resposta sexual é única para cada pessoa e pode variar dependendo de uma série de circunstâncias.

 

O período refratário é influenciado por uma combinação complexa de fatores físicos, emocionais e ambientais. Compreender esses elementos pode ajudar os homens a gerenciar melhor sua saúde sexual e promover uma vida sexual satisfatória e saudável.

 

Como diminuir o período refratário?

 

Como diminuir o período refratário?

 

Após a ejaculação, o período refratário representa o tempo necessário para que um homem possa ter outra ereção. Embora esse intervalo possa variar de pessoa para pessoa, existem maneiras de reduzi-lo, possibilitando relações sexuais mais frequentes. Vamos explorar algumas dicas e técnicas que podem ajudar nesse processo:

 

Atividade física regular

 

Praticar exercícios físicos regularmente melhora a circulação sanguínea e a saúde geral do corpo, o que pode contribuir para diminuir o período refratário. Exercícios aeróbicos, como corrida, natação e ciclismo, são especialmente benéficos para a saúde sexual.

 

Alimentação equilibrada

 

Uma dieta rica em nutrientes como zinco, vitamina E e ômega-3 pode melhorar a função erétil e diminuir o período refratário. Alimentos como ostras, amêndoas, salmão e espinafre são exemplos de alimentos que podem ser incluídos na dieta para esse fim.

 

Gerenciamento do estresse

 

O estresse pode afetar negativamente a função sexual, incluindo o período refratário. Praticar exercícios de relaxamento, meditação ou yoga, além de reservar tempo para atividades prazerosas, pode ajudar a reduzir o estresse e, consequentemente, o tempo de recuperação após a ejaculação.

 

Técnicas de controle da excitação

 

Existem técnicas que podem ajudar a controlar a excitação sexual e prolongar o tempo antes da ejaculação. Uma delas é o método do “aperto”, que consiste em pressionar a base do pênis quando estiver próximo de ejacular. Outra técnica é a “parada e começo”, em que a estimulação é interrompida antes de atingir o ponto de não retorno.

 

Consulta com um especialista

 

Se houver preocupação com o período refratário, é recomendado buscar a orientação de um médico especialista em saúde sexual. Ele poderá avaliar o caso individualmente e indicar o melhor tratamento ou técnicas específicas para reduzir o período refratário.

 

Portanto, é fundamental experimentar diferentes abordagens e encontrar a que melhor se adapta às necessidades individuais.

 

Conclusão

 

Compreender e respeitar o período refratário é essencial para uma vida sexual saudável e satisfatória. Ao reconhecer a importância desse intervalo, bem como os fatores que o influenciam, os homens podem adotar medidas para promover uma recuperação mais rápida e uma melhor experiência sexual. 

 

Portanto, busque equilibrar um estilo de vida saudável com o devido acompanhamento médico, permitindo que você e seu parceiro desfrutem plenamente de uma intimidade gratificante e duradoura.

Como Durar Mais na Cama

Como durar mais na cama: explorando a intimidade sexual, técnicas e compreensão da ejaculação precoce

O universo da intimidade sexual é vasto e complexo, influenciado por inúmeros fatores que transcendem a mera duração. Compreender a importância de estabelecer uma conexão emocional e aprimorar a qualidade do ato sexual é essencial para uma experiência gratificante e íntima.

Neste conteúdo, exploraremos os mitos e realidades sobre o tempo ideal do sexo, abordando técnicas comprovadas para prolongar o prazer, e compreenderemos mais sobre a ejaculação precoce – suas causas e como buscar ajuda profissional para superar essa condição.

Por que a duração do sexo é importante?

Prolongar a relação sexual vai além da simples duração. É um equívoco comum acreditar que uma relação duradoura automaticamente significa mais prazer para ambos os parceiros. Na verdade, para muitas mulheres, a qualidade do sexo supera em muito a sua duração.

O foco excessivo na duração pode afastar a atenção do verdadeiro cerne da experiência: a conexão entre os parceiros. É fundamental compreender que, ao fazer sexo de maneira satisfatória, é possível proporcionar imenso prazer em um curto período. A ênfase na duração pode negligenciar a qualidade, resultando em perda de conexão entre os envolvidos.

>>>> Veja também – Dificuldade de ejacular: como tratar

Como durar mais na cama: o tempo ideal do sexo

como durar mais na cama

 

Determinar o tempo ideal para uma relação sexual é um tema complexo e altamente subjetivo. A dinâmica do sexo varia consideravelmente de acordo com circunstâncias e preferências pessoais. O contexto e os estados emocionais também influenciam significativamente a percepção de tempo durante a intimidade.

Entretanto, há referências que tentam oferecer parâmetros para essa avaliação. Um estudo significativo, intitulado “Percepções de terapeutas sexuais canadenses e americanos sobre latências ejaculatórias normais e anormais: Quanto tempo deve durar a relação sexual?”, propôs faixas de tempo para considerar o tempo de uma relação sexual:

  • De 3 a 7 minutos: considerado um tempo adequado.
  • De 8 a 13 minutos: tido como desejável.
  • De 1 a 2 minutos: considerado muito curto, caracterizando a ejaculação precoce.
  • Entre 10 e 30 minutos: considerado um período muito longo.

É importante notar que estes dados são indicativos e não devem ser interpretados como regras fixas. A busca pela satisfação mútua e o prazer compartilhado são os verdadeiros objetivos do ato sexual. 

>>>>>>> Técnicas de Controle da Ejaculação Precoce

Técnicas para durar mais na cama

Faça com que as preliminares durem mais tempo

É essencial reconhecer que as preliminares são fundamentais. Enquanto a ideia predominante de relações sexuais costuma focar na penetração, especialistas em sexualidade ressaltam que um bom sexo é muito mais do que isso.

As preliminares apresentam diversas vantagens, especialmente quando se busca prolongar o tempo durante a relação sexual. Primeiramente, em relação ao prazer feminino, que costuma aumentar progressivamente e requer mais estímulo para atingir o ápice. Desse modo, preliminares mais longas e intensas ajudam as mulheres a atingirem níveis mais altos de excitação, encurtando o caminho para o orgasmo.

O clima e a intimidade estabelecidos durante as preliminares permitem que ambos se entreguem ao momento. Isso é especialmente benéfico para o homem, pois o estresse pode afetar negativamente a duração antes da ejaculação.

Fatores psicológicos que influenciam a duração da penetração

O estresse é um dos principais fatores psicológicos que afetam a duração do ato sexual. Homens sob estresse tendem a ejacular mais rapidamente, muitas vezes por questões evolutivas ligadas à sobrevivência. A ansiedade relacionada ao desempenho na cama pode criar um ciclo de preocupação, levando à ejaculação precoce.

Nesse contexto, relaxar é fundamental para prolongar o sexo. Criar uma conexão emocional durante a relação ajuda ambos os parceiros a se acalmarem e contribui para evitar um desfecho rápido. Além disso, a fadiga, resultado da privação de sono, também pode influenciar a rapidez da ejaculação, impactando a forma como lidamos com o estresse.

Respiração e Controle

A respiração profunda pode naturalmente reduzir o nível de estresse. Embora seja uma ação física, a respiração consciente tem efeitos positivos no relaxamento durante o ato sexual.

Dedicar um tempo às preliminares, explorar o corpo da parceira com tranquilidade e adotar movimentos suaves durante a penetração são práticas que podem ajudar a prolongar o ato. Observar sua própria excitação sexual e aprender a controlá-la, embora não signifique controle direto sobre a ejaculação, permite um maior entendimento e gerenciamento da excitação, melhorando o controle durante o ato.

Essas técnicas e compreensões visam não apenas prolongar o tempo durante o sexo, mas também aprimorar a conexão emocional e o prazer mútuo entre os parceiros, enfatizando a qualidade sobre a mera duração.

>>>>>> Fisioterapia Pélvica para tratamento de Ejaculação Precoce e Disfunção Erétil

Ejaculação Precoce: o que causa?

 

Avançando para a discussão sobre ejaculação precoce, é crucial entender suas causas e buscar soluções eficazes. Trata-se de uma condição na qual o homem atinge o clímax sexual de maneira persistente e recorrente, muitas vezes com estimulação mínima, antes do momento desejado, resultando em desconforto significativo para ele e para o parceiro. Isso pode impactar negativamente a qualidade da experiência sexual e até mesmo o relacionamento.

Principais Causas da Ejaculação Precoce:

Fatores Psicológicos: Ansiedade, estresse, preocupação com o desempenho sexual, traumas passados, problemas de relacionamento e questões emocionais podem desempenhar um papel crucial na ocorrência da ejaculação precoce. A pressão psicológica pode resultar em um ciclo prejudicial de preocupação e desempenho, levando a episódios repetidos de ejaculação rápida.

Fatores Fisiológicos: Alterações hormonais, sensibilidade aumentada do pênis, disfunções neurológicas e certos problemas de saúde, como problemas de próstata ou tireoide, podem contribuir para a ejaculação precoce.

Hábitos Sexuais e Inexperiência: A frequência e rapidez com que o ato sexual é realizado, bem como a falta de prática no controle da excitação sexual, podem desempenhar um papel significativo nesse cenário.

Agende uma Consulta Médica:

Entender as causas da ejaculação precoce é o primeiro passo para encontrar soluções eficazes. É fundamental consultar um profissional de saúde para avaliar sua condição de forma adequada.

Esses profissionais têm o conhecimento necessário para oferecer orientação personalizada e recomendar estratégias para lidar com a ejaculação precoce, ajudando a melhorar a qualidade das relações íntimas e o bem-estar emocional de forma geral.

AGENDE AGORA A SUA CONSULTA!

Dor no pênis: causas, tratamentos (e o que fazer)

A dor no pênis pode ser um sintoma preocupante e desconfortável para muitos homens. Embora algumas causas possam ser temporárias e inofensivas, outras podem ser um sinal de problemas de saúde mais sérios.

Se você está enfrentando esse problema, é importante procurar uma clínica focada em saúde sexual masculina para determinar a causa subjacente e receber o tratamento adequado.

Causas de Dor no Pênis

Existem diversas causas. Algumas das principais incluem:

  • Infecções: Infecções sexualmente transmissíveis (ISTs), como gonorreia, clamídia e herpes genital, podem causar dor no pênis, juntamente com outros sintomas como corrimento, coceira e vermelhidão. Infecções fúngicas e bacterianas também podem levar à dor.

  • Inflamações: Inflamações do pênis, como balanite (inflamação da glande) ou balanopostite (inflamação da glande e prepúcio), podem causar dor e desconforto. A fimose, que é a dificuldade em retrair o prepúcio, pode levar a inflamações recorrentes.

  • Traumas: Lesões no pênis, como fraturas, cortes e contusões, podem causar dor intensa. A atividade sexual vigorosa e o uso de dispositivos como bombas de vácuo para ereção também podem levar à dor.

  • Problemas de Ereção: Condições que afetam a ereção, como a doença de Peyronie (formação de cicatrizes no pênis), podem causar dor durante a relação sexual.

  • Condições Médicas: Doenças como a doença de Peyronie, balanite e fimose podem levar à dor no pênis.

  • Problemas Psicológicos: Ansiedade, depressão e estresse podem contribuir.

 

Tratamentos para Dor no Pênis

Os tratamentos variam de acordo com a causa específica e podem incluir:

  • Medicamentos: Antibióticos podem ser prescritos para tratar infecções bacterianas ou virais, enquanto medicamentos anti-inflamatórios podem ajudar em casos de inflamações.

  • Terapias: Cirurgia para corrigir a fimose e terapia de ondas de choque para disfunção erétil são algumas opções de tratamento.

  • Mudanças no Estilo de Vida: Manter uma dieta saudável, praticar exercícios físicos regularmente e evitar o tabagismo e o consumo excessivo de álcool podem ajudar a prevenir problemas de saúde que levam à dor no pênis.

Quando Procurar Ajuda Médica

Se você está enfrentando esse problema, é importante agendar uma consulta com um especialista em saúde sexual masculina o mais rápido possível.

A dor no pênis pode ser um sintoma de vários problemas que requerem tratamento adequado. Algumas dessas condições incluem infecções sexualmente transmissíveis, balanite, fimose e doença de Peyronie. Agende uma consulta para avaliar e receber o tratamento adequado.

AGENDE UMA CONSULTA AGORA MESMO!

Masturbação: Riscos e Quais São os Benefícios?

A masturbação não provoca problemas de saúde. Na verdade, pode ajudar a reduzir o estresse, aliviar a tensão sexual e melhorar o humor. No entanto, a masturbação excessiva pode causar irritação e danos na pele. 

A masturbação é mal vista por muitas pessoas, porém, é uma prática normal e saudável, desde que seja feita de maneira segura e consciente.

Veja neste artigo os benefícios e riscos da masturbação. Continue lendo!

Benefícios da prática de masturbação

Como já foi mencionado anteriormente, a atividade pode gerar alguns benefícios para saúde como: 

  1. Prevenção de problemas de saúde sexual: pode ajudar a prevenir a prostatite, a infecção urinária e outros problemas de saúde sexual masculina.
  2. Melhora do sono: A liberação de endorfinas durante a masturbação influencia na qualidade do sono.
  3. Aumento da autoestima: aumenta a autoestima e a confiança, além disso, ajuda a descobrir mais sobre o próprio corpo e as preferências sexuais.
  4. Alívio do estresse: ajudar a reduzir o estresse e a ansiedade, liberando endorfinas que produzem uma sensação de bem-estar e felicidade.

Mas cuidado, se realizado com muita frequência pode levar a danos e irritação na pele, mas é raro. 

Veja também: Como Melhorar o Desempenho Sexual Masculino e Prevenir Disfunções

Riscos da prática excessiva de masturbação 

A masturbação é segura e não apresenta riscos graves para a saúde. No entanto, pode provocar alguns problemas como: 

  1. Problemas de relacionamento: pode ser um problema se interferir nas atividades diárias ou se afetar as relações sexuais.
  2. Dependência: Algumas pessoas podem se tornar dependentes da masturbação e encontrar dificuldade em controlar a frequência ou a duração da atividade.
  3. Problemas de saúde mental: Em casos raros, a masturbação excessiva pode ser um sintoma ou fator contribuinte para problemas de saúde mental, como ansiedade ou depressão.
  4. Ansiedade ou culpa: Algumas pessoas podem sentir ansiedade ou culpa relacionadas à masturbação, especialmente se foram ensinadas que é errado ou imoral.
  5. Irritação na pele: pode levar a irritação ou danos na pele, especialmente se a pele é sensível ou se as mãos ou outros objetos são ásperos ou inadequados.

Ereção Fraca: Causas, Tratamentos e Diagnóstico

Por fim, a prática de masturbar é saudável e segura. Caso tenha preocupações ou questões sobre a atividade, é importante conversar com um médico ou um profissional de saúde mental.

O Que Causa a Ejaculação Precoce? Mitos e Verdades

A ejaculação precoce é um distúrbio sexual em que o homem tem uma ejaculação involuntária antes do desejado. Essa condição é muito comum, mas ainda assim existem muitos mitos e equívocos em relação a ela.

Pensando nisso, nós criamos esse texto para esclarecer todas as suas dúvidas e responder as principais questões acerca do transtorno: o que causa a ejaculação precoce? Quais os sintomas? Como tratar? Boa leitura!

O que é a ejaculação precoce?

A ejaculação precoce é uma disfunção sexual masculina caracterizada pelo orgasmo e excreção do sêmen logo após a penetração ou, às vezes, antes mesmo da relação sexual.

Em outras palavras, o homem não consegue controlar o momento do orgasmo e a ejacula antes do desejado. Por isso, se sente insatisfeito e frustrado.

Para ser considerado ejaculação precoce, é necessário que o homem goze excessivamente rápido várias vezes. Assim, se esse foi um evento pontual na sua vida, não há necessidade de preocupação.

Veja também: O que causa e como tratar a falta de libido?

O que causa a ejaculação precoce?

Mas afinal, o que causa a ejaculação precoce? O diagnóstico final deve ser feito por um(a) médico(a) especializado, mas você deve ficar de olho em outros sintomas e condições, como:

Fatores psicológicos

Muitos médicos indicam que o que causa a ejaculação precoce é algum distúrbio psicológico ou biológico. Em outras palavras, estresse, ansiedade, luto e depressão são alguns dos motivos que podem estar fazendo com que você ejacule precocemente.

Ereção Fraca: Causas, Tratamentos e Diagnóstico

Fatores biológicos

Além dos fatores psicológicos mencionados, outras possíveis razões da ejaculação precoce são questões biológicas, como: aumento dos níveis hormonais, distúrbios de tireoide, fatores genéticos e inflamações ou infecções na próstata, ou uretra.

O que não causa a ejaculação precoce?

É muito comum que existam mitos sobre o que causa a ejaculação precoce e o que não. O nosso dever é esclarecer essas dúvidas para que falsas informações não sejam passadas adiante.

Consumo de certos alimentos

Não existem estudos concretos que comprovem que alimentos podem causar um efeito de ejaculação precoce.

Por outro lado, nós ressaltamos que manter uma alimentação saudável é fundamental para ter um corpo e mente sadio – o que consequentemente impacta na sua performance sexual. 

Masturbação

Alguns estudos apontam que homens que sofrem dessa condição, masturbam-se da mesma maneira que outros, e que a sensibilidade mantém-se a mesma. Assim, não há confirmação clara que a masturbação é a causa da ejaculação precoce.

Tratamento para a ejaculação precoce

Agora que você já sabe o que causa a ejaculação precoce e o que é fake news, é necessário saber os principais tratamentos para esse distúrbio sexual:

Acompanhamento psicológico

O acompanhamento de um profissional da saúde é fundamental para diminuir e controlar fatores psicológicos como a depressão ou ansiedade – o que implica diretamente no desempenho do homem durante a relação sexual.

Já foi comprovado que muitos homens, após iniciar o tratamento psicológico, conseguiram controlar os orgasmos e ejaculação.

Candidíase No Homem: Sintomas E Como Tratar?

Dor no pênis: causas e tratamentos para acabar com o desconforto

Medicamentos

Medicamentos via oral, como antidepressivos ou analgásicos, cremes anestésicos e camisinhas especiais podem diminuir a sensibilidade do pênis, fazendo com que o homem aguente mais tempo no ato sexual.

Contudo, é necessário o diagnóstico e recomendação de um profissional da saúde para uso de qualquer medicamento. Nunca se automedique.

Agende uma consulta com um especialista

Pare de sofrer com a ejaculação precoce e agende uma consulta com um especialista que pode entender exatamente o que está acontecendo com você e providenciar o melhor tratamento para essa condição!

Quando o homem não ejacula o que pode ser?

A dificuldade de ejacular é um problema que, geralmente, desanima os homens. Por isso é importante entender o que exatamente é a ejaculação retardada, as suas causas e como tratá-la da melhor maneira.

Então, se você está com essa disfunção sexual, não entre em pânico, você está no lugar certo. Boa leitura!

O que pode causar a dificuldade de ejacular?

Não existe apenas um fator causador da dificuldade de ejacular. Se você está passando por isso, é fundamental olhar para outros sintomas a fim de entender melhor o que pode estar acontecendo com o seu corpo. As principais causas são:

Fatores psicológicos

Nas últimas semanas, como você tem se sentido? Estressado, tenso ou ansioso? Esses podem ser alguns motivos que podem estar te impedindo de ejacular ou até mesmo aproveitar o sexo.

Alguns outros fatores psicológicos podem ter o mesmo impacto como:

  • Sentimento de culpa por motivos religiosos;
  • Medo de engravidar;
  • Traumas;
  • Tensão durante o ato sexual;
  • Preferir masturbação à relação sexual.

Condições de saúde

Por outro lado, a dificuldade de ejacular também pode ser um sintoma de condições mais graves, como:

  • Ejaculação retrógrada: ocorre quando o espermatozóide vai para a bexiga, ao invés de ir para a uretra. Isso ocorre quando há uma falha no fechamento do colo vesical e pode ser causada após cirurgias no colo vesical ou uso de medicamentos que obstruem o fluxo urinário.
  • Ejaculação retardada: é caracterizada pelo atraso ou até mesmo incapacidade de conseguir ejacular. Em outras palavras, mesmo com a estimulação sexual adequada, uma ereção e o desejo de ejacular, a ejaculação não ocorre. Se essa condição durar por seis meses ou mais, é necessário ir a um médico especialista para o diagnóstico e tratamento correto.

 

A masturbação pode causar disfunção ejaculatória?

Em alguns casos, a masturbação frequente pode influenciar na dificuldade de ejacular. Isso porque muitos homens, principalmente os mais novos, preferem a masturbação ao ato sexual em si e, por isso, não sentem estimulação suficiente para ejacular durante a relação.

Esse tipo de comportamento está diretamente ligado ao nervosismo e à ansiedade durante a relação sexual, o que pode afetar o desempenho do homem e a dificuldade em ejacular.

 

Como tratar a dificuldade para ejacular?

Se você está tendo dificuldade de ejacular, não se desespere. Como mencionamos, existem inúmeros fatores que podem causar isso. Assim, para tratar essa questão:

Fique atento aos sintomas

Preste muita atenção aos seus sintomas além da ejaculação retrógrada. Você anda se sentindo estressado? Ansioso? O seu trabalho está exigindo muito e você se sente cansado o tempo inteiro? Esses podem ser outros sinais que ajudam a diagnosticar a causa da condição.

Marque uma consulta com um especialista

Depois de analisar os sintomas, é importante agendar uma consulta com um médico especialista em saúde do homem para fazer um diagnóstico e começar a tratar a condição o quanto antes.Se você está sofrendo com a dificuldade de ejacular, agende uma consulta sigilosa e trate essa disfunção! 

Falta de ereção: quando buscar um profissional?

A falta de ereção pode ser um sinal de doença crônica, problemas psicológicos ou até mesmo disfunção erétil. O uso excessivo de álcool, drogas, medicamentos, tabagismo e alimentação desequilibrada são possíveis causas do problema que pode ser tratado com profissional especializado. 

Neste artigo você verá mais sobre as principais causas da falta de ereção, como prevenir, como funciona o tratamento e quando você precisa buscar um profissional. 

Continue lendo! 

 

 

O que pode causar a falta de ereção? 

As principais causas já identificadas para a falta de ereção incluem: 

 

 

1. Problemas circulatórios

O fluxo de sangue no pênis é responsável pela ereção, portanto, qualquer problema ou dificuldade na circulação pode causar a falta de ereção. Ou seja, algumas doenças podem influenciar o problema como, por exemplo: hipertensão, doença arterial coronariana, diabetes, colesterol elevado e tabagismo.

Ereção Fraca: Causas, Tratamentos e Diagnóstico

 

2. Uso excessivo de remédios

O uso prolongado de antidepressivos, anti-hipertensivos ou antipsicóticos podem causar efeitos colaterais a longo prazo e desenvolver problemas de disfunção erétil e falta de ereção. 

 

3. Distúrbios hormonais

As alterações hormonais podem causar a falta de líbido, principalmente a falta de testosterona que influencia diretamente na ereção. Outros distúrbios podem estar ligados ao problema como hipertireoidismo e hipotireoidismo.

 

4. Depressão e outras doenças psicológicas

A depressão e os transtornos de ansiedade são responsáveis por causar sentimentos negativos como medo, ansiedade, nervosismo e insatisfação que impactam no desempenho sexual e na ereção. 

4. Neurológicas

Problemas neurológicos como esclerose múltipla, doença de Parkinson, acidente vascular cerebral, tumores do sistema nervoso central e traumatismos são responsáveis por 20% dos casos de disfunção erétil, segundo o Portal da Urologia. 

Como prevenir a falta de ereção?

Geralmente, a falta de ereção está ligada ao hábito de vida. Sendo assim, o melhor caminho para prevenir o problema é desenvolver rotinas saudáveis como, por exemplo: 

  1. Ter uma alimentação equilibrada; 
  2. Praticar atividades físicas regularmente; 
  3. Não fumar e nem utilizar drogas; 
  4. Manter o peso adequado; 
  5. Evitar o consumo de álcool; 
  6. Descansar bem; 
  7. Evitar estresse; 
  8. Fazer check-up anualmente; 

Tratamentos para falta de ereção

O tratamento para falta de ereção deve ser realizado por um profissional especializado, pois exige acompanhamento e análise individual de cada caso. Veja os principais tratamentos: 

Terapia por ondas de choque

O tratamento com terapia por ondas de choque tem o objetivo de aumentar a circulação sanguínea no local através de ondas emitidas em baixa intensidade. Além disso, o procedimento melhora a qualidade da ereção para pacientes que sofrem de diabetes, peyronie e outras doenças urológicas. 

É importante destacar que a terapia por ondas de choque é um procedimento minimamente invasivo, indolor e não apresenta efeitos colaterais. 

 

Tratamentos farmacológicos

O tratamento por medicamentos é indicado por um profissional especializado. São geralmente usados inibidores da fosfodiesterase-5, as quais são seguros, eficazes e normalizam as ereções na maioria dos homens. 

Veja também: Remédios para melhorar ereção

Tratamento não farmacológico

O tratamento não farmacológico é usado em problemas de ereção com origem vascular. Sendo assim, é importante tratar os fatores de riscos responsáveis pelo problema como, por exemplo: tabagismo, obesidade, estilo de vida sedentário e dieta inadequada.

Com isso, a prática de exercícios físicos, alimentação equilibrada e perda de peso pode melhorar a função sexual e a falta de ereção. 

Quando buscar um profissional? 

Profissionais especializados em tratamento da falta de ereção

 

Nem sempre a falta de ereção significa um problema de disfunção erétil. Porém, se o problema é frequente e está influenciando negativamente no seu desempenho sexual e causando frustrações na sua vida e na parceira, o ideal é buscar um profissional especializado para identificar a causa e iniciar o tratamento. 

PARA DE SOFRER COM A FALTA DE EREÇÃO. AGENDE UMA CONSULTA AGORA!

Sintomas da Andropausa e Tratamento

Os sintomas da andropausa podem variar entre a diminuição do desejo sexual, fraqueza muscular, insônia, dentre outros. A doença é caracterizada pela diminuição da testosterona, gerando perda de massa muscular, redução da libido e piora progressiva da ereção, além de queda geral da disposição.

A andropausa é uma consequência natural e irreversível do envelhecimento masculino, geralmente os primeiros sinais aparecem após os 40 anos. Por isso, é recomendado consultar anualmente um profissional especializado em andropausa para evitar disfunções e patologias graves.

15 Sintomas Da Andropausa 

Sintomas da andropausa

 

Os sintomas da andropausa podem variar de paciente para paciente, pois alguns homens que sofrem com a condição não apresentam queda hormonal significativa. Sendo assim, os sinais mais comuns da queda de testosterona são: 

  1. Perda de líbido; 
  2. Aumento da gordura corporal;
  3. Desânimo; 
  4. Disfunção erétil;
  5. Sudorese excessiva;
  6. Mudanças bruscas de humor;
  7. Insônia;
  8. Fraqueza muscular; 
  9. Cabelo e pele secos; 
  10. Falta de concentração;
  11. Redução de pelos do corpo;
  12. Diminuição de ereções matinais
  13. Perda de massa óssea e massa muscular
  14. Cansaço extremo;
  15. Alterações do sono

Além disso, a andropausa pode influenciar no surgimento de problemas como aumento nos níveis de colesterol, doenças cardiovasculares, diabetes, hipertensão e depressão.

Por essa razão é recomendado realizar check-ups anualmente para acompanhar os níveis hormonais. 

Saiba mais sobre as disfunções sexuais masculinas e como funcionam os tratamentos!

Tratamento

Tratamento para andropausa

O tratamento da andropausa pode ser realizado por reposição hormonal masculina para aumentar os níveis de testosterona e estabilizar o organismo. Além disso, é recomendado para os pacientes ter uma vida mais saudável com alimentação equilibrada e prática de atividade física regularmente. 

Antes de iniciar o tratamento é importante ter certeza do diagnóstico. Por isso, os especialistas em andropausa podem solicitar alguns exames de sangue para observar os níveis hormonais. 

A andropausa é uma condição natural que afeta o homem na terceira idade, mas os sintomas não precisam afetar a sua rotina e bem-estar. É possível manter o problema controlado e ter uma vida saudável e equilibrada. 

AGENDE UMA CONSULTA AGORA NO CENTRO CLÍNICO DO HOMEM, FAÇA O SEU CHECK-UP E NÃO SOFRA COM OS SINTOMAS DA ANDROPAUSA!